Sobre a Partidarite

Existe um fenómeno no activismo português a que vim a chamar de partidarite. A partidarite não existe apenas em quem pertence a partidos. É um erro pensar isso.

Partidário e partidarizado (isto é, aquele que sofre de partidarite) são coisas muito distintas. Pode-se ser partidarizado sem ter passado por partidos ; e, ainda que seja mais dificil, é talvez possível passar por partidos sem acabar partidarizado. Pode-se até ir mais longe e dizer que muitas pessoas estão partidarizadas sem nunca terem estado num partido. Algumas inclusive odeiam partidos apesar de sofrerem de partidarite intensa. Complexo? Talvez e continua! De facto, a maior parte dos elementos que se afirmam abertamente de um partido (ou partidário) sofrem de formas benigna de partidarite. Por trazerem um “cartão ao peito”, informam toda a gente de que se encontram partidarizados sendo por isso possível entendê-los, enquadrá-los e até mesmo relativamente fácil conversar e organizar eventos com eles. Mais problemáticos são os casos de partidarizados não partidários que, não se anunciando publicamente, têm obrigatoriamente de ser reconhecidos por análise indirecta. Isto porque, na realidade a partidarite é essencialmente uma forma de fazer as coisas. Ela não existe fisicamente nem ninguém pode ser realmente acusado de a ter. Revela-se apenas.

Exemplos tipicos de comportamentos de partidarite são:

– excesso de enfoque nos objectivos em detrimento dos métodos usados para os alcançar. Falta de preocupação com a subversão do método quando surgem sinais de que os objectivos podem estar em causa.
– uso e apreço pela democracia como forma de aglutinação de vontades mas dificuldade em aceitar o funcionamento democrático em seu desfavor.
– excesso de pragmatismo; escassez de utopia.
– uso sistemático de argumentos baseados nos "anos de experiência" como forma de dar peso a argumentos. Contemporização das opiniões de novos elementos como imaturas.
– um certo enfado com a discussão, não resposta às questões levantadas, desvio de discussões sobre temas organizativos para a acção concreta
– excessiva preocupação com a desunidade potencialmente resultante da dissenção
– recurso à ridicularização, estereotipação e pequenos ataques pessoais como forma de reduzir o impacto de perguntas ou críticas que entravem ou adiem a acção.
– vontade de fecho dos movimentos em torno de ideias próprias; evidente falta de compreensão pelo necessidade de incorporação de perspectivas diferentes.
– apreço pela eficiência da unidade por oposição a confiança na diversidade
– menosprezo pelo tempo dispendido na fixação de objectivos e regras de funcionamento (geralmente rotuladas como burocráticas e desnecessárias quando "há bom senso");
– colocação frequente de temas a debate ou propostas de acção sem no entanto estar disponível para o tempo necessário ao seu debate e ponderação
– manifesta falta de atenção para com quem quer debater; menosprezo pela necessidade e utilidade da procura de consensos
– atitude competitiva, focada nos opositores em vez de nos 99% restantes
– incapacidade de reconhecer que sofre de partidarite; reacção violenta ou de ridicularização sobre quem aponta esse mal.
– olhos maiores do que a barriga: quem sofre de partidarite parece não conseguir resistir à tentação de procurar dominar um movimento aos primeiros sinais de sucesso. Mesmo que isso o estrangule e acabe por ir ao fundo com ele.
– Atribuição frequente das causas de falhanços a outrem; Extrema dificuldade na autocrítica pública, confundida com fraqueza e falta de convicção e determinação.
– Em casos particularmente agudos – isto é elementos fortemente partidarizados – podem ocorrer verdadeiras estratégias orientadas para a subversão ou destruição de movimentos. No entanto, essas estratégias não são geralmente tão frequentes como alguns partidarizados afirmam serem, constituindo na maior parte das vezes apenas um resultado da sua visão partidarizada do mundo.

(Acrescentarei mais sintomas à lista à medida que forem ocorrendo)

Nota: Ocorre-me que a partidarite será talvez o final de um continuum, tendo na activite o seu primeiro estádio. Mas sobre isso falarei noutro dia.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: